É a expulsão dos fetos antes de eles completarem o seu desenvolvimento no útero da cadela, embora não seja muito comum. As causas de um aborto podem ser: quedas, traumas ou “pancadas”, diversas doenças, calor excessivo, fêmeas que acasalaram com macho possuidor de blenorragia (inflamação na uretra do pênis do macho), sustos provocados por barulho excessivo, presença de animais estranhos, cadelas muito novas, acasalamento com machos muito novos, intoxicações alimentares ou medicamentos, envenenamentos, constipação (prisão do ventre) por defeito de alimentação, como o abuso de grão e farelos, gordura excessiva entre outros.

Quando uma cadela aborta, deve ser isolada dos outros cães e levada, o mais rapidamente possível a um médico veterinário. Existem também abortos provocados pelo próprio dono que não queria que a cadela engravidasse. Quando isso ocorrer, o ideal é levar a cadela o quanto antes possível ao veterinário para que ele aborte e, conseqüentemente não causa sofrimento na cadela. Deve ser feito antes do 2º dia após o acasalamento, pois ainda não ocorrera a nidação (o ovo fecundado se instale no útero da cadela), de modo que nem se inicie a gestação. Aconselha-se deixar a cadela criar, se não for possível abortar diante das condições acima expostas, apesar de ser possível o aborto quando da cadela já gestando, mas por precaução e bem estar dela, evita-se.